sábado, 20 de setembro de 2014

Quando? Amanhã, Domingo (21); Onde? Pórtico; Horário? 8:30; Trajeto? Do Pórtico ao Mangue de Pedra

Do grupo pedalabuzios do Facebook 

"Sem Carro e com Bike,

Na Luta pela Preservação do Mangue de Pedra.

Neste domingo, dia 21 de setembro, estaremos fazendo uma pedalada do Pórtico ao Mangue de Pedra, em comemoração ao dia Mundial Sem Carro, que irá ocorrer no dia 22, e pela Preservação do Mangue de Pedra.

No momento que o Governo Municipal discute o Plano de Mobilidade Urbana, chamamos a atenção de todos para a necessidade de unificar as lutas por uma cidade mais justa e sustentável, pois a implantação da malha ciclo viária e a Preservação do Mangue de Pedra compõem o mesmo cenário da cidade real que queremos.

O caminho para se chegar a estas duas aspirações da sociedade Buziana é único e deve ser asfaltado com muita luta, persistência e objetividade, pois é nosso dever de cidadãos, nos apropriarmos da cidade que vivemos e molda-la ao interesse coletivo, ao invés de deixa-la a própria sorte e ser gerida apenas sob o olhar dos poderes constituídos.

Assim como o Dia Mundial Sem Carro, tem como reflexão a necessidade de se buscar alternativas de locomoção que não seja somente a motorizada, busquemos esta mesma reflexão para a preservação de nossos ativos ambientais que compõem a base de nossa economia voltada para o turismo.

Participe deste evento, concentração no Pórtico as 8:30, com saída as 9:00, neste domingo, dia 21 de setembro.

Transito pesado e meio ambiente não combinam, ciclovia e preservação se completam".

Texto: Hamber Carvalho


1º Seminário Local de Saneamento Básico de Búzios (NEA-BC)

Cartaz divulgação NEA-BC

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

A especulação imobiliária de Búzios perdeu!

A especulação imobiliária de Búzios como toda raposa que adora comer os ovos da galinha de ovos de ouro é muito matreira. Fica na espreita. Percorre anonimamente os corredores da Prefeitura e da Câmara de Vereadores. Não gosta de publicidade. Muito menos holofotes. Age sempre nos bastidores. Como não consegue mais construir a torto e direito como fazia na administração passada resolveu inventar uma suposta crise no mercado da construção civil de Búzios. Crise que seria causada por uma única pessoa: a nossa secretária de Planejamento Alice Passeri. O desaguadouro natural desse choro, como não podia deixar de ser, foi a nossa Câmara de Vereadores, que se prontificou a convocar a secretária para prestar esclarecimentos sobre a tal crise. Acontece que não existe crise alguma. É puro chororô!


MTE, Janeiro a Agosto de 2014, foto 1

Segundo dados (ver acima) fornecidos pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) começamos o corrente ano  (1/1/2014) com 222 empregos formais no setor da construção civil de Búzios. Destaque-se que apenas são informados os empregos formais. Sabe-se muito bem que no setor impera a informalidade na contratação dos trabalhadores. Logo a situação do emprego como um todo (o formal mais o informal) necessariamente deve estar muito melhor em comparação com a do emprego formal unicamente. 

Neste ano (de janeiro a agosto), o setor admitiu 128 trabalhadores com carteira assinada e demitiu 130. Perdeu 2 trabalhadores de um estoque de 222. O que é irrisório! 

O quadro do ano passado (2013) é muito esclarecedor (ver abaixo). Sob a batuta da mesma secretária que, segundo a especulação imobiliária e seus porta-vozes, está levando à falência a construção civil de Búzios, o setor cresceu, admitindo mais do que demitindo. Falência, com crescimento? Foram 203 admissões contra 166 demissões, com saldo de 37 empregos formais. Mais uma vez repito: empregos formais, aqueles com carteira assinada. Todos sabem que esta não é a forma de contratação preferida do setor. Portanto, o município podia, no período, estar contando com o dobro de empregos informais na construção civil. 

MTE, Janeiro a Agosto de 2013, foto 2

A prova cabal de que o setor está incomodado com a atuação da Secretária Alice Passeri,  que simplesmente está cumprindo a legislação em vigor (Plano Diretor, LUOS, etc), é o fato do setor não ter se manifestado em 2012 quando houve queda acentuada do emprego formal no mesmo período analisado (ver quadro abaixo). O saldo negativo de 14 demissões representa mais de 10% do total de admissões. Por que então a especulação imobiliária não esperneou convocando o secretário de Planejamento de então para prestar esclarecimentos na Câmara de Vereadores? Simplesmente porque a especulação imobiliária estava muito bem representada no governo anterior do senhor Mirinho Braga. Dezenas de processos licenciados durante sua gestão foram denunciados posteriormente pelo Ministério Público por conterem irregularidades (por não respeitarem a legislação do Plano Diretor e da Lei do Uso e Ocupação dos Solo).        


MTE, Janeiro a Agosto de 2012, foto 3

MTE, Janeiro a Agosto de 2014, foto 4

Os vereadores deveriam se preocupar mesmo é com o desemprego no principal setor da economia buziana: o setor de serviços (ver quadro acima). No mesmo período- de janeiro a agosto de 2014- o setor viu perder 391 empregos com carteira assinada, o que representa mais de 20% do número de trabalhadores admitidos:1.885. Demitidos: 2.276. No mesmo período do ano passado (2013), a perda foi de apenas 54 empregos. Da mesma forma os comerciários também perderam muitos postos de trabalho: saldo negativo de 198 em 882 admitidos.

Fonte: http://bi.mte.gov.br/bgcaged/caged_perfil_municipio/index.php

Comentários no Google+:


carlos Alberto Guidini

5 horas atrás  -  Compartilhada publicamente
 
INTERESSANTE E ESCLARECEDORA ANALISE!!!

Comentários no Facebook:


  • Jose Figueiredo Sena Sena Luiz Carlos Gomes , é claro qualquer segmento da Economia de uma Cidade vai reclamar se a coisa não estiver andando nos eixos , agora muito humildemente " ká pra nois " e o setor de supermercado deve ficar muito chateado em ver pessoas trabalhando em Búzios, ganhando seu dinheiro em Búzios , mais na hora de gastar o din din heinmn ? Vai gastar onde nas Cidades que não precisa nem dizer o nome , tá bem na cara .

Prefeito de Arraial do Cabo é alvo de ação civil por ato de improbidade

Prefeito Andinho, foto Prefeitura de Arraial do Cabo
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Cabo Frio, ajuizou ação civil por ato de improbidade em face do prefeito de Arraial do Cabo, Wanderson Cardoso de Brito. A medida foi proposta com base em relatório técnico do Tribunal de Contas do Estado (TCE) que demonstrou que, no fim da primeira gestão de Wanderson, em 2012, o Município contraiu despesas que não poderiam ser cumpridas dentro do mandato e encerrou o ano com o caixa negativo em R$ 26 milhões, o que infringe o artigo 42 a Lei de Responsabilidade Fiscal (101/2000).

“Ao formalizar gastos em desconformidade com a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), o gestor comprometeu a saúde financeira do Município e, caso não se reelegesse, deixaria um legado de dívidas para o seu sucessor”, diz a ação.

A LRF veda que o chefe do executivo, nos últimos oito meses de seu mandato, contraia despesas que não possam ser quitadas até o fim da gestão ou que tenham parcelas a serem pagas no exercício seguinte sem que haja disponibilidade de caixa para isso. Ao perceber o “caos financeiro em que se encontrava seu governo”, conforme salientou a Promotoria na ação, o prefeito cancelou empenhos sem observar critérios essenciais, como, por exemplo, se a obrigação contratada já havia sido executada. Segundo a promotora Marcela do Amaral, que subscreveu a ação, cancelar o empenho  de forma ilegal significa suspender apenas a ordem de pagamento, a dívida permanece.

Foram cancelados, inclusive, contratos de longo prazo e de caráter contínuo, como o de manutenção e administração da rede de esgoto e águas pluviais, de coleta de lixo e de pagamento do INSS dos funcionários do Município. “A solução adotada pelo réu para maquiar o resultado de sua má gestão (cancelar os empenhos) não evita o descumprimento dos ditames da LRF, ao contrário, acarreta maiores danos ao patrimônio público, uma vez que o credor de boa-fé poderá buscar seu direito, acrescido de correção, juros e custas judiciais. O impacto da decisão apenas não foi sentido pela municipalidade porque o prefeito logrou se reeleger”, destaca trecho da ação.


A promotora ressalta também que o cancelamento de empenhos restabelece o saldo da dotação orçamentária, o que permite a efetivação de novas despesas. Se condenado pela Justiça, o prefeito poderá pagar multa, ter suspensos seus  direitos políticos, perder o cargo, além de ficar impossibilitado de contratar com a administração pública.

Fonte: http://www.mprj.mp.br/web/internet/home/-/detalhe-noticia/visualizar/4815;jsessionid=pYVqTw9gGdN-y9idOCdZ-abT.node3



Garotinho detona a Globo



Veja a entrevista na íntegra:


quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Depoimento da secretária de Planejamento de Búzios Alice Passeri na Câmara de Vereadores de Búzios

A Secretaria de Planejamento de Búzios Alice Passeri presta depoimento na Câmara de Vereadores, Sessão de 18/09/2014

Veja o áudio do depoimento na íntegra:

https://soundcloud.com/professorluiz/secretaria-de-planejamento-de-buzios-alice-passeri-na-camara-de-vereadores

Comentários no Facebook:


Ricardo Guterres Podiam ter servido bolinhos e guaraná.....



Em defesa do Plano Diretor de Búzios

A Secretaria de Planejamento de Búzios Alice Passeri presta depoimento na Câmara de Vereadores, Sessão de 18/09/2014

Vejam o vídeo com trecho de seu depoimento:



Meu comentário :

Alice Passeri e equipe é o que temos de melhor no Governo André. Reproduzo aqui trecho do depoimento apaixonado da secretária em defesa do nosso Plano Diretor no momento em que a especulação imobiliária de Búzios se movimenta para criar um ambiente propício ao reexame de nossas leis edilícias e do nosso Plano Diretor. A sua convocação para prestar esclarecimentos sobre as ações implementadas em sua pasta faz parte desta estratégia. É importante registrar que três vereadores eleitos na atual Legislatura votaram em 2009 a favor da manutenção da famigerada Lei 20 ("Lei dos Pombais "): Leandro, Genilson e Lorram. O interesse era tanto que Mirinho-  prefeito Rei dos Condomínio- vetou a revogação da Lei. A Câmara de Vereadores se viu obrigada a derrubar o veto. Dos vereadores atuais, votaram pela derrubada do veto do Prefeito: Felipe Lopes, Joice e Messias.

Um dos maiores representantes na Península da pequena especulação imobiliária (defensor dos "Pombais"), o ex-todo-Poderoso do ex-governo do ex-Prefeito Rei dos Condomínios, em seu ex-jornal, chegou ao cúmulo de defender que se faz necessário "revisar o preconceito que se tem sobre o adensamento (grifo nosso) e reformatar o conceito que se tem de condomínio " (JPH, 2014/05/09, página 3).     

Comentários no Facebook:


  • Ricardo Guterres Não tem nada a ver com plano diretor.....o problema é o excesso de burocracia e exigências estúpidas e desnecessárias do planejamento, das finanças e do meio ambiente...que faz um processo tramitar por vários meses quando se tem sorte......

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Para o governo a Saúde de Búzios está uma maravilha 2

Subsecretário de Saúde de Búzios  Leandro Pereira depõe na Câmara de Vereadores, sessão do dia 16/09, foto 2

Em seu depoimento na Câmara de Vereadores o subsecretário de Saúde Leandro Pereira afirmou que 72% dos moradores de Búzios são atendidos nos Módulos Médicos de Família. A informação não é verdadeira.  O número foi inflado dividindo-se o número de famílias cadastradas (6.432) nos PSFs, em julho de 2014, pelo número total de famílias (8.986) do Censo de 2010. Essa divisão (6.432/8986) tem como resultado 71,57%, os 72% do subsecretário.

Acontece que em 2014 a população de Búzios já não era mais de 27.560 habitantes (censo de 2010). Foi estimada em 30.439 habitantes. Mantida a proporção habitante/domicílio anterior, devemos estar hoje com um total de 9.914 famílias, superando em quase mil famílias o número de famílias de 2010. Neste novo quadro,  o índice de cobertura da Estratégia de Saúde de Família cairia para 64,87% (6.423/9.914).

A diferença (71,57% - 64,87%) pode não parecer nada, mas influi na quantidade de recursos que o governo federal repassa para Búzios. Também revela a realidade da população de Manguinhos-Geribá não atendida como deveria ser na Atenção Básica, correspondente à 35,13% da população de Búzios.

O recadastramento apontado como solução para todos os males da Saúde de Búzios é o terceiro feito no município. O primeiro foi realizado em 2006. Argumentava-se que a Policlínica tinha um prontuário de 24 mil famílias, o que apontava atendimento para cerca de 70 mil pessoas, enquanto o município possuía aproximadamente 25 mil moradores (Oto Vieira, administrador da Policlínica, JPH, 28/10/2006). Em 2009 outro recadastramento foi feito. Justificava-se o novo recadastramento porque o município estava atendendo de 6 a 7 mil pessoas por mês na Policlínica e segundo a secretária adjunta, Drª Luzia Andrade, com base em dados do Ministério da Saúde, um município com 27 mil habitantes, deveria realizar de 2.500 a 3.000 atendimentos médicos mês na Policlínica. Búzios estava prestando atendimento como se tivesse de 79 a 110 mil habitantes! (Jornal O Pescador, 27/04/2009).   

O problema fundamental da Saúde de Búzios não é esse. A grande questão é que se gasta muito e mal e/ou muito mal. Isso sem se falar em possíveis mal feitos como os apurados pela CPI do BO. É o município da Região dos Lagos que mais gasta/habitante. Gastamos em 2013 R$ 1.790,47/habitante em Saúde. O município que mais gasta depois de nós é Rio das Ostras com R$ 1.191,58/habitante. Cabo Frio é o terceiro, com R$ 917,56. Acontece que somos o que mais gasta com terceirizações na área da Saúde. Muitas delas desnecessárias e caras. Em 2013 dispendemos quase um quarto  (23,14%) de todos os nossos recursos da Saúde com “serviços de terceiros-pessoa jurídica”. Isso significa quase 13 milhões de um orçamento total de 52 milhões de reais.  Cabo Frio, gastou apenas 11,99%. com terceirizações.

Fonte:





              

Para o governo a Saúde de Búzios está uma maravilha

Subsecretário de Saúde de Búzios  Leandro Pereira depõe na Câmara de Vereadores, sessão do dia 16/09

Veja o áudio integral do depoimento do subsecretário de Saúde de Búzios:


Meu comentário:

Para o subsecretário os problemas da Saúde não se devem à má gestão do governo municipal. O problema é que a população cresce muito e, além disso, muitos moradores trazem parentes e amigos que moram em municípios vizinhos para serem atendidos em nossa rede municipal de Saúde. 

O aumento no número de moradores (os de dentro e os de fora) faz com que aumente a oferta de atendimento (número de consultas). Se você consulta mais, logicamente vai prescrever mais, diagnosticar mais doenças, solicitar mais exames. 

Logo, a solução para a Saúde de Búzios, segundo o sub-secretário, é o recadastramento (para excluir os de fora) e o planejamento familiar (para reduzir o número dos "de dentro") para fazer a população de Búzios parar de crescer. O problema é que não dá para acreditar nessa "solução" pois já fizemos alguns recadastramentos em governos anteriores e a Saúde continua apresentando os problemas de sempre, como falta de remédios, dificuldades de realização de exames e filas intermináveis na Policlínica.

Comentários no Facebook:

  • Santa Peixoto Se está bom assim por que será que não os vejo na fila para consultas de rotina? Está uma beleza para quem tem saúde, e não depende do atendimento e serviços prestado pelo município!
    40 min · Curtir · 1
  • Laci Coutinho Tão boa que foram até convidados a dar palestras sobre o assunto! O pior é ainda termos que assisti-los fazendo propaganda enganosa em plena Câmara Búzios!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Pela criação imediata da Unidade de Conservação do Mangue de Pedra 2

Foto grupo do Facebook pedalabuzios


"Sem Carro e com Bike,

Na Luta pela Preservação do Mangue de Pedra.

Neste domingo, dia 21 de setembro, estaremos fazendo uma pedalada do Pórtico ao Mangue de Pedra, em comemoração ao dia Mundial Sem Carro, que irá ocorrer no dia 22, e pela Preservação do Mangue de Pedra.

No momento que o Governo Municipal discute o Plano de Mobilidade Urbana, chamamos a atenção de todos para a necessidade de unificar as lutas por uma cidade mais justa e sustentável, pois a implantação da malha ciclo viária e a Preservação do Mangue de Pedra compõem o mesmo cenário da cidade real que queremos.

O caminho para se chegar a estas duas aspirações da sociedade Buziana é único e deve ser asfaltado com muita luta, persistência e objetividade, pois é nosso dever de cidadãos, nos apropriarmos da cidade que vivemos e molda-la ao interesse coletivo, ao invés de deixa-la a própria sorte e ser gerida apenas sob o olhar dos poderes constituídos.

Assim como o Dia Mundial Sem Carro, tem como reflexão a necessidade de se buscar alternativas de locomoção que não seja somente a motorizada, busquemos esta mesma reflexão para a preservação de nossos ativos ambientais que compõem a base de nossa economia voltada para o turismo.

Participe deste evento, concentração no Pórtico as 8:30, com saída as 9:00, neste domingo, dia 21 de setembro.

Transito pesado e meio ambiente não combinam, ciclovia e preservação se completam".

Texto: Hamber Carvalho

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
linkwithin